Educação financeira infantil: 6 lições para ensinar as crianças sobre dinheiro

Apesar da educação financeira atrair cada vez mais o interesse dos brasileiros, a maioria das pessoas ainda fala pouco — ou nada — sobre finanças. Os motivos são variados e um deles deve estar relacionado ao fato de que, por termos sido introduzidos ao tema mais tarde, não estamos acostumados a falar sobre ele.

O assunto fazia parte das discussões de família durante a sua infância? A maioria dos brasileiros responderia “não” a essa pergunta. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ibope, por exemplo, apenas 21% dos brasileiros tiveram educação financeira desde a infância.

Entendendo a importância de reverter esse cenário, neste artigo vamos falar sobre a educação financeira infantil, explicando por que crianças podem e devem falar sobre isso e dando dicas práticas para você tratar do tema com o público infantil.

Você sabe o que é educação financeira infantil?

Conhecimentos para aprender a lidar melhor com o dinheiro, entender a necessidade de se planejar e saber a importância de poupar. De forma resumida, isso é o que a educação financeira traz para a vida de qualquer pessoa, inclusive das crianças.

Uma educação financeira infantil adequada garante que as crianças aprendam conceitos básicos sobre finanças e entendam que nossa vida financeira é um grande jogo de escolhas: para ter uma coisa, é necessário abrir mão de outras.

Mesmo sendo tão importante, não dá para negar que o tema é complexo e falar sobre ele com crianças pode ser desafiador. Para ajudar nessa missão, separamos algumas dicas práticas, que podem ser os primeiros passos para você trazer o assunto finanças para a mesa de discussão da família.

Como ensinar educação financeira para crianças?

A primeira coisa que você precisa ter em mente é que falar com as crianças sobre dinheiro apenas sob a perspectiva das dificuldades financeiras pode não ser muito efetivo.

Elas precisam entender tudo o que está envolvido na vida financeira, compreendendo de que forma o dinheiro faz parte do dia a dia.

Explique a origem do dinheiro e o valor do trabalho

Sabe aquela máxima de que “dinheiro não dá em árvore”? Pode parecer uma frase óbvia, mas as crianças precisam entender que a renda da família é fruto de muito esforço. 

Explicar a origem do dinheiro, inclusive, é fundamental para que elas entendam o valor do trabalho e saibam desde cedo que é preciso correr atrás do que se deseja.

Diferencie o que é necessário, supérfluo e desperdício

Quem não conhece uma criança que já tentou fazer uma troca com os pais, dizendo, por exemplo, que preferia deixar de comprar o uniforme da escola para ter o brinquedo do momento?

É por isso que é tão importante ensinar para os pequenos a diferença entre os itens necessários e supérfluos e mostrar para elas por que o desperdício não deve fazer parte da realidade da família.

Explique o conceito de poupar e investir

Toda criança tem desejos: ir à Disney, comprar uma bicicleta nova, fazer uma festa de aniversário e convidar todos os colegas da escola. 

Os momentos em que elas expressam essas vontades são oportunidades valiosas para ensiná-las a importância de poupar e investir, mostrando que, na maioria das vezes, não vamos ter dinheiro imediato para fazer tudo o que queremos. 

Elas precisam saber que planejar e poupar são os passos mais efetivos para a realização dos nossos sonhos.

Incentive a doação de objetos

A educação financeira infantil também passa por ensinar as crianças a darem valor a tudo que elas têm. Isso inclui incentivá-las a entender o que ainda tem uso para elas e o que poderia ser mais útil para outras crianças que, muitas vezes, não têm dinheiro para ter objetos como aqueles. 

Além disso, ensinar as crianças a não acumular pode ajudá-las a fugir de comportamentos consumistas no futuro.

Inclua as crianças nas decisões financeiras da família

Um dos principais fundamentos da educação financeira é a importância de estabelecer prioridades. Por isso, incluir as crianças nas decisões que envolvem o dinheiro da família é fundamental para que elas aprendam sobre a responsabilidade delas no processo e saibam que as vontades delas não podem estar acima das necessidades de todos.

Seja um exemplo para a criança

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Essa máxima não pode entrar em cena na criação das crianças, inclusive quando falamos em educação financeira infantil. 

Quem vê os pais ou responsáveis tendo uma relação saudável com o dinheiro e dando a devida importância para o tema tende a crescer entendendo que o assunto precisa ser tratado com cuidado — já que está envolvido em praticamente todas as áreas da nossa vida.

Este post tem um comentário

Deixe um comentário